BLOG

Materiais e Notícias
sobre o nosso mundo

Category filter:AllArtes PerformativasArtes VisuaisLeis de IncentivoMúsicaProdução Cultural
Por enquanto é isso… ;-)
margarida.jpg

27 de dezembro de 2020

O Projeto Entrelaços é uma mostra itinerante de espetáculos de contação de histórias e atividades lúdicas em escolas, que busca promover o incentivo à leitura, a
preservação da cultura popular, o desenvolvimento criativo e a cidadania em crianças de Santa Catarina. Previsto para ser executado em 2021 em escolas públicas das cidades de Guaramirim, Luiz Alves e Corupá, o projeto conta com o patrocínio do Grupo Lunelli, gigante do setor têxtil catarinense.

Ambiente Lúdico

O evento levará para a escola um dia especial e com cenografia especialmente preparada a partir de tecidos reciclados

Contação de Histórias

A cada edição, um espetáculo de contação de história selecionado proporciona um momento de lazer  e encantamento.

Oficinas com Tecidos

A cada edição, o evento apresenta uma oficina de incentivo à leitura e brincadeiras que estimulem a criatividade e amizade. 

Melhorias de acervos

O projeto selecionará 5 livros de autores catarinenses. Cada escola receberá 5 unidades de cada um, totalizando 25 livros novos para cada biblioteca.

 

Porque contação de Histórias?

Durante muito tempo o ato de contar histórias nas escolas era tido como uma forma de entreter, distrair e relaxar as crianças, e ainda em algumas instituições continua a ser assim. Mas neste século XXI tem ressurgido a figura do Contador de Histórias, ou o Professor/Contador de Histórias, e a sua importância no âmbito educacional e emocional das crianças, com presença certa em bibliotecas, feiras de livros, livrarias e escolas. Esse antigo costume popular pertencente à tradição oral, vem sendo resgatado pela educação como estratégia para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita – a formação do leitor passa pela atividade inicial do escutar e do recontar.

De acordo com vários estudiosos a contação de histórias é um valioso auxiliar na prática pedagógica de professores da educação infantil e anos inicias do ensino fundamental. As narrativas estimulam a criatividade e a imaginação, a oralidade, facilitam o aprendizado, desenvolvem as linguagens oral, escrita e visual, incentivam o prazer pela leitura, promovem o movimento global e fino, trabalham o senso crítico, as brincadeiras de faz-de-conta, valores e conceitos, colaboram na formação da personalidade da criança, propiciam o envolvimento social e afetivo e exploram a cultura e a diversidade.

A contação de histórias é uma excelente estratégia para o professor colocar as crianças em contato com boas histórias. Histórias que, além de proporcionar o primeiro contato com os livros de forma agradável, irão distraí-las, levá-las a lugares distantes, onde, através do imaginário e da fantasia, viverão situações, experiências e aventuras das mais variadas possíveis. É com base nessa ideia de utilizar o universo lúdico e a contação de história como forma de promover o amor pela literatura e pelo teatro nas crianças da escola pública, que propomos este projeto.

Espetáculo Selecionado: “A Princesa Margarida: um musical brincante”, da Metamorfose Companhia Cênica
A Princesa Margarida desapareceu! O rei convoca a todos para que venham ajudar a encontrar a princesa. Onde está a Margarida? O espetáculo, com dramaturgia criada a partir da ciranda “Onde está a Margarida” contém muitos elementos dos contos que povoam o imaginário popular, com cantigas e brincadeiras tradicionais. O resgate das brincadeiras populares é o que a montagem propõe de forma bastante interativa

Classificação indicativa: Livre

Projeto Entrelaços
Idealização, Organização e Produção: Marte Cultural

Seja um Patrocinador

ccq2-1.jpg

26 de dezembro de 2020

Frequentemente considerado o melhor festival de quadrinhos e cultura Pop de Santa Catarina, o Circuito Catarinense de Quadrinhos celebra o universo da Arte e Cultura Geek em vários dias de programação. Atualmente o evento é realizado com entrada totalmente gratuita e atrações para todas as idades. Apresenta, simultaneamente, exposições, sessões de cinema, espaço de jogos e leitura, cosplay contest, master classes e Feira dos Artistas. Só em 2019, o evento contou com mais de 200 atividades programadas, sobretudo ações voltadas à formação e profissionalização do setor.

 — Ser geek é ser um fã apaixonado. A verdade é que somos todos fãs de alguém, colecionamos algo, somos críticos de filmes, gostamos de usar fantasias, passar horas lendo livros e HQs, adoramos “maratonar” séries… E isso, enfim, é o universo geek — diz José Mathias, um dos idealizadores do Circuito junto a Bruno Flesch.

Hall dos Artistas: artes originais e contato de perto com artistas

Definitivamente, o Hall dos Artistas é uma das principais atrações do Circuito Catarinense de Quadrinhos. Trata-se de um espaço democrático para que artistas já consagrados e também os novos e amadores possam mostrar seus trabalhos, interagir com o público e vender prints, sketchbooks, artes originais, bem como outros materiais relacionados ao universo das HQs.  Além de artista convidados, participam da feira artistas individuais, coletivos, escolas, estúdios e selos.

Quem já participou?

Entre os nomes que já passaram pela feira estão Manu Cunhas, autora de Outras Meninas; Ricardo Manhães, autor de Gothic Girl; Maurício Paiva, de O Fadólico; Diogo Azê, de Alien Ninja; Klewerton, do Buena Lucha; Davi Calil, do Uma Noite em L’Enfer; Carol Pimentel, da Panini Comics; Edu Vieira e Magenta King, igualmente professores da Quanta Academia de Artes.

Circuito Catarinense de Quadrinhos.
Organização: Marte Cultural
Realização: Circuito Catarinense de Quadrinhos

Seja um Patrocinador
Acessar a página do Projeto 

ocaco2.jpg

23 de dezembro de 2020

O projeto “O Caco não Lava o Pé” foi desenvolvido através de uma parceria da Marte Cultural com a Elefants Companhia de Teatro, de Florianópolis. Com o objetivo de integrar arte e educação em torno de uma mensagem que promovesse os hábitos saudáveis nas crianças, o projeto contou com 2 produtos culturais: uma peça de teatro e um livro infantil.

Construída a partir de jogos e, sobretudo, da acepção do “faz-de-conta”, a narrativa utilizada nesses dois produtos conta a história de Caco, um menino que não gostava muito de tomar banho e escovar os dentes. Esse mau hábito, contudo, muitas vezes fazia com que a brincadeira durasse pouco, devido à dor de barriga e às dores de dente que ele tinha. Mas com a ajuda de sua amiga Lala e seu urso Olavo, ele acaba descobrindo a importância de ter cuidar da saúde e da higiêne.

Enredo 

A história é contada a partir do ponto de vista da criança, reduzindo o didatismo e enfatizando a função simbólica do teatro, diminuindo assim o abismo entre o universo mágico e o realista. Para isso, aposta no visual lúdico e colorido, que inclui brinquedos recicláveis, pipa e um carrinho gigante para transportar Olavo para todos os lados, e traz uma série de canções que são cantadas junto com as crianças. No dia do espetáculo, as crianças também receberam o livro ilustrado com a história do Caco, para levarem para casa as lições aprendidas e guardarem a lembrança vivida com o teatro.

Apresentações em Escolas

As apresentações  foram realizadas no decorrer do segundo semestre de 2017, em dias de semana, em instituições de ensino sugeridas pelo setor Mapa das Artes, da Secretaria Municipal de Educação, contemplando prioritariamente as instituições que estão localizadas em regiões mais carentes da capital catarinense.

Parceiros

O Caco não Lava o Pé foi viabilizado a partir de uma parceria da Marte Cultural e da Elefants Companhia de Teatro, com o apoio cultural da Pixeon e o patrocínio do Município de Florianópolis por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura nº 3659/91.

 

Seja um Patrocinador