BLOG

Materiais e Notícias
sobre o nosso mundo

Category filter:AllArtes PerformativasArtes VisuaisLeis de IncentivoMúsicaProdução Cultural
Por enquanto é isso… ;-)
margarida.jpg

27 de dezembro de 2020

O Projeto Entrelaços é uma mostra itinerante de espetáculos de contação de histórias e atividades lúdicas em escolas, que busca promover o incentivo à leitura, a
preservação da cultura popular, o desenvolvimento criativo e a cidadania em crianças de Santa Catarina. Previsto para ser executado em 2021 em escolas públicas das cidades de Guaramirim, Luiz Alves e Corupá, o projeto conta com o patrocínio do Grupo Lunelli, gigante do setor têxtil catarinense.

Ambiente Lúdico

O evento levará para a escola um dia especial e com cenografia especialmente preparada a partir de tecidos reciclados

Contação de Histórias

A cada edição, um espetáculo de contação de história selecionado proporciona um momento de lazer  e encantamento.

Oficinas com Tecidos

A cada edição, o evento apresenta uma oficina de incentivo à leitura e brincadeiras que estimulem a criatividade e amizade. 

Melhorias de acervos

O projeto selecionará 5 livros de autores catarinenses. Cada escola receberá 5 unidades de cada um, totalizando 25 livros novos para cada biblioteca.

 

Porque contação de Histórias?

Durante muito tempo o ato de contar histórias nas escolas era tido como uma forma de entreter, distrair e relaxar as crianças, e ainda em algumas instituições continua a ser assim. Mas neste século XXI tem ressurgido a figura do Contador de Histórias, ou o Professor/Contador de Histórias, e a sua importância no âmbito educacional e emocional das crianças, com presença certa em bibliotecas, feiras de livros, livrarias e escolas. Esse antigo costume popular pertencente à tradição oral, vem sendo resgatado pela educação como estratégia para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita – a formação do leitor passa pela atividade inicial do escutar e do recontar.

De acordo com vários estudiosos a contação de histórias é um valioso auxiliar na prática pedagógica de professores da educação infantil e anos inicias do ensino fundamental. As narrativas estimulam a criatividade e a imaginação, a oralidade, facilitam o aprendizado, desenvolvem as linguagens oral, escrita e visual, incentivam o prazer pela leitura, promovem o movimento global e fino, trabalham o senso crítico, as brincadeiras de faz-de-conta, valores e conceitos, colaboram na formação da personalidade da criança, propiciam o envolvimento social e afetivo e exploram a cultura e a diversidade.

A contação de histórias é uma excelente estratégia para o professor colocar as crianças em contato com boas histórias. Histórias que, além de proporcionar o primeiro contato com os livros de forma agradável, irão distraí-las, levá-las a lugares distantes, onde, através do imaginário e da fantasia, viverão situações, experiências e aventuras das mais variadas possíveis. É com base nessa ideia de utilizar o universo lúdico e a contação de história como forma de promover o amor pela literatura e pelo teatro nas crianças da escola pública, que propomos este projeto.

Espetáculo Selecionado: “A Princesa Margarida: um musical brincante”, da Metamorfose Companhia Cênica
A Princesa Margarida desapareceu! O rei convoca a todos para que venham ajudar a encontrar a princesa. Onde está a Margarida? O espetáculo, com dramaturgia criada a partir da ciranda “Onde está a Margarida” contém muitos elementos dos contos que povoam o imaginário popular, com cantigas e brincadeiras tradicionais. O resgate das brincadeiras populares é o que a montagem propõe de forma bastante interativa

Classificação indicativa: Livre

Projeto Entrelaços
Idealização, Organização e Produção: Marte Cultural

Seja um Patrocinador

sunsetjazz.jpg

27 de dezembro de 2020
Sunset Jazz Iguatemi no Viver SC

O Sunset Jazz Iguatemi foi uma série de concertos que fizeram parte da programação Viver SC em 2019. Se em edições passadas o Viver SC destacou as características únicas de cada região de Santa Catarina, em 2019 o projeto da NSC Comunicação voltou-se às experiências do verão catarinense. Com um novo posicionamento, o Viver SC Verão buscava conectar tanto quem vai para o estado curtir a estação mais quente do ano, quanto quem é catarinense, a momentos que fazem nosso Estado ser referência nacional de lifestyle e qualidade de vida. Em Florianópolis, os palcos para os eventos foram: Jurerê Internacional, a Stage Music Park e o Shopping Iguatemi, e em Balneário Camboriú, a Green Valley. A programação diversificada ofereceu aos catarinenses atrações nacionais e internacionais, sunsets com jazz e blues, espaços gastronômicos e recreação infantil.

Como foi

Fins de tarde embalados por ritmos envolventes e influenciados pelo jazz, com um repertório de clássicos dos maiores nomes do gênero revisitados por artistas catarinenses. O Sunset Jazz Iguatemi reuniu alguns dos principais músicos catarinenses em 5 shows temáticos de variações do jazz e do blues. No repertório, além de muita improvisação, temas inesquecíveis e atuais, de grandes nomes da música como Ella Fitzgerald, Miles Davis, Charlie Parker, Roy Harrgrove, Erykah Badu, Herbie Hancock, Sonny Rollins, Dizzy Gillespie, Hermeto Pascoa, Sérgio Mendes, BB King e Eric Clapton.

Além da boa música, o público também encontrou uma ampla variedade de vinhos e espumantes do The Wine Pub e torneiras de chopp Eisenbahn. — Mais uma vez, o Sunset Jazz Iguatemi vai reunir uma constelação de músicos locais. Eventos como este são um presente para a comunidade e consolidam o shopping como um espaço de lazer para todos os públicos — diz a gerente de marketing Carolina Pajaro.

Sunset Jazz Iguatemi
Produção Musical: Marte Cultural

Seja um Patrocinador

concertosaf.jpg

27 de dezembro de 2020

Parte da programação anual da Aliança Francesa de Florianópolis, os Concertos AF apresentam, a cada ano, diversas apresentações musicais com repertórios ligados à cultura francesa e brasileira. Apesar de ter preferência e abertura especial para concertos eruditos ou instrumentais, essas séries de concertos também apresentam grupos musicais de outras vertentes, como a Música Popular, o Rock e as músicas folclóricas.

Veja abaixo alguns dos concertos que já aconteceram:

 
Bïa

A catarinense Bïa krieger, ou apenas Bïa, como é mundialmente conhecida, com seu show ‘Coeur Vagabond’, se apresentou pelo projeto em 2018. Radicada na França desde a década de 80, Bïa, que nasceu em Santa Catarina em 1967, viveu de perto o período da ditadura militar e, como muitos em sua época, fugiu com a família passando sua infância entre o Chile, Peru e Portugal. Com a anistia retornaram ao Rio de Janeiro, mas logo a inquieta Bïa partiria para Paris, onde finalmente se estabeleceria e começaria sua bem-sucedida carreira musical internacional.

 

Avery Trio e Convidados: La Grande Guerre

Em comemoração ao fim da primeira guerra mundial, que completou 100 anos em 2018, e em homenagem ao dia da França, comemorado em 14 de julho, a Aliança Francesa promoveu em Florianópolis um concerto especial, com o conjunto americano de música de câmara Avery Trio, acompanhado de instrumentistas convidados. No programa, o “Trio em Lá menor (1914)” de Ravel, que tem uma dupla relevância para a comemoração do dia da França, é executado pela formação original do conjunto, Annie Trèpanier (violino), Adriana Jarvis (piano) e Hans Twitchell (violoncelo). Além de ser considerado, por muitos, a melhor obra deste renomado compositor francês, este Trio possui um significado em relação à Primeira Guerra Mundial: Ravel fez o ‘acabamento final’ da obra e logo se inscreveu nas forças armadas em 1915.

 

Concertos AF

Trio Innova

Uma noite musical com a temática do tango em um repertório focado no compositor Astor Piazzolla. Este foi o programa de mais uma edição do projeto “Concertos AF”, realizado pela Aliança Francesa de Florianópolis, e que recebeu o grupo francês Trio Innova, no dia 12 de agosto de 2018, no Teatro Pedro Ivo. Criado em 1999, o Trio Innova é composto pelos músicos David Zambon (tuba), Jean-Marc Fabiano (acordeão) e Patrick Zygmanowski (piano). O que a princípio era uma diversão entre amigos, tornou-se, durante um concerto no Festival “Meetings in Lorraine”, uma verdadeira aventura humana e musical.

 

 

Mathieu Boogaerts

O aclamado cantor, compositor e multi-instrumentista francês Mathieu Boogaerts se apresentou no O Sítio em Florianópolis em 27 de março de 2018. Sua música é conhecida pelo estilo descontraído e uma batida muito leve e delicada, com pitadas de Reggae, Afro-Pop, Indietronica e Folk Music. Com mais de duas décadas de carreira, Mathieu Boogaerts é um criador incansável, um mestre em poesia e um músico fervoroso. Essencialmente minimalista (e reverenciado por Dick Annegarn, Camellia Jordana e Vanessa Paradis), ele conduz o público nas encostas suaves do devaneio. Cantor com carisma discreto e bom humor, ele sempre aborda as sutilezas da vida em seus álbuns.

 

Eva Zaïcik

Revelação da cena lírica internacional, a meio-soprano francesa Eva Zaïcik foi atração dos Concertos AF em 2019. A parisiense apresentou o recital Femmes Amoureuses (Mulheres Apaixonadas), acompanhada pelo pianista paulistano Marco Bernardo. A apresentação aconteceu em 17 de outubro no Teatro Pedro Ivo, abrindo a primeira turnê da artista no Brasil — depois da Capital, ela seguiu para São Paulo, Curitiba e Manaus. No programa, além de Les Nuits d’Été, ciclo de canções do compositor romântico francês Hector Berlioz (1803 – 1869), a cantora interpretou dois dos mais conhecidos momentos do primeiro ato da ópera Carmen, de Georges Bizet (1838-1875): a Seguidilha e a Habanera.

Seja um Patrocinador
Acessar o site da Aliança Francesa Florianópolis

mostraaf.jpg

27 de dezembro de 2020

A Mostra AF de Cinema apresenta, anualmente, um recorte da produção francófona clássica e contemporânea. As sessões, sempre gratuitas, acontecem em locais como o Cinema do Centro Integrado de Cultura e a Fundação BADESC em Florianópolis. Além disso, cineclubes de universidades e centros culturais de outras cidades em Santa Catarina também podem receber a programação.

Apoio da Cinemateca da Embaixada da França no Brasil

Esta mostra tem sua programação viabilizada a partir de uma parceria com a Cinemateca da Embaixada da França no Brasil. Esta instituição possui um acervo de filmes disponíveis para exibições públicas não comerciais e estabelece parcerias com instituições interessadas em divulgar o cinema francês.

Referência e proximidade cultural

Nada como a produção cinematográfica para aproximar culturas e tradições. E quando se fala em França, o cinema logo vem à mente, já que o País é uma referência internacional, com uma produção abrangente e de sucesso em todos os gêneros. E é exatamente com este propósito que a Mostra AF de Cinema.

Alguns destaques  da Programação

Entre os filmes que estiveram na programação de 2018, pode-se destacar o atual, realista e interessantíssimo Petit Paysan (O pequeno Fazendeiro), de Huber Charuel, vencedor do César de Melhor Primeiro Filme em 2017, que teve sua primeira exibição em Santa Catarina na Mostra. O elogiadíssimo Wùlu, “gangster africano” dirigido pelo diretor estreante franco-malinês Daoda Coulibaly, e os clássicos Le Mépris (O Desprezo) de Jean-Luc Godard e Le Salaire de la Peur (O Salário do Medo), de Henri-Georges Clouzot. A animação e crítica social baseada em HQ, Aya de Yopougon (Aya), de Marguerite Abouet e Clément Oubrerie, o documentário Swagger, a biografia musical Barbara, a comédia Ciumenta, de David Foenkinos, além dos dramas Une Vie Violente (Uma vida violenta) e A peine j’ouvre les yeux (Assim que abro meus olhos).

Já em 2019, a seleção apresentou filmes  que evidenciam temas sociais e muito atuais – na França, mas com eco também no Brasil e no mundo: o poder político, a integração, a diferença, a luta por direitos. A curadoria é assinada pela Aliança Francesa Florianópolis em parceria com a Fundação Cultural Badesc a partir do acervo do Institut Français. — A programação mostra várias facetas da sociedade francesa. Do mundo político até a escola pública, passando pela legalização do casamento entre casais do mesmo gênero. Além de mostrar uma realidade de uma sociedade em movimento, também remete à história da França, marcada pelas imigrações e lutas sociais. Na verdade, não é possível entender uma sociedade sem conhecer o seu passado, a sua história — afirmou Solène Leblanc-Maridor, diretora da Aliança Francesa de Florianópolis, no lançamento da Mostra. Outra temática que despontou em três filmes deste ano — À voix haute: la force de la parole, M e Le Poulain é a da voz, do discurso, da forma de falar. — Esse tema tem um sentido especial para Aliança Francesa, que além da programação cultural é um centro de aprendizagem da língua. O que revela a nossa forma de falar? A língua como vetor de emancipação, de exclusão ou de manipulação? — questionou Solène.

Outro destaque foi Le Poulain. Lançado em 2018, o filme é uma comédia ambientada nos bastidores da campanha política na França. O protagonista Arnaud (Finnegan Oldfield), um jovem de 25 anos, sem qualquer experiência profissional ou em política, entra para a equipe de campanha de um candidato à eleição presidencial francesa. Ele fica fascinado pelas técnicas e meandros desse mundo, assim como por Agnès (Alexandra Lamy), a diretora da campanha especialista em comunicação política e que não hesita em virar a casaca se isso servir ao próprio interesse. O diretor, Mathieu Sapin, usou a experiência que ganhou com políticos como François Hollande ou Emmanuel Macron como inspiração — mas garante que a obra é ficção e não tem nada a ver com a experiência pessoal. Sapin, aliás, é conhecido pelo trabalho como autor de história em quadrinhos e o filme é a sua estreia como diretor de cinema.

Mostra AF de Cinema

Organização e Produção: Marte Cultural
Realização: Aliança Francesa de Florianópolis, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal

Seja um Patrocinador
Acessar a página do Projeto 

danca.jpg

26 de dezembro de 2020

O Dança em Cena tem como missão contribuir para o desenvolvimento e democratização da dança através da sua valorização como expressão artística, da formação de público e da formação profissional. Sem caráter competitivo, nossa Mostra de Dança promove a troca de experiências entre estudantes e profissionais, oportunizando a vivência artística, a participação no processo criativo, o entendimento de um espetáculo e a experiência do palco. Podem participar escolas, grupos e companhias com trabalhos amadores e profissionais.

A cada edição, a programação do projeto é totalmente gratuita tanto para quem dança, como para quem assiste. Além da mostra, o Dança em Cena apresenta ainda espetáculos de companhias convidadas, workshops para profissionais, residência artística, aulas para iniciantes e dois eventos paralelos: o “Celebra – Companhias em Destaque” e o Baile Arena – Espetáculo Interativo.  A curadoria é assinada por Aline Menezes, bailarina, coreógrafa e grande incentivadora da dança e da arte-educação em Santa Catarina.

Plural e Democrático

O Dança em Cena se destaca por ser um projeto democrático, com inscrição e entrada gratuitas em todas as atividades e variedade de estilos e atrações. A Mostra de Dança, por exemplo, além de ser uma oportunidade para bailarinos amadores terem a experiência de palco pela primeira vez e ainda aprender com profissionais, é realizada num local aberto ao público e com grande circulação de pessoas, o Floripa Shopping.

— O shopping possibilita um fluxo grande pessoas que muitas vezes nunca tiveram relação com a dança e com a arte, aproximando muita gente a diversas potencialidades. Um espaço que tem estrutura para circulação de vários grupos, bailarinos e expressões artísticas, movimentando a cena local com mais arte, estimulando o público e formando plateia — destaca a Diretora Artística do projeto. 

A Mostra é o principal produto do festival e conta com cinco dias de apresentações. Além disso, o evento apresenta sempre ao menos duas noites com companhias convidadas no Teatro Pedro Ivo, cursos de capacitação para profissionais e uma residência artística com jovens bailarinos da comunidade do Saco Grande. O palco da mostra recebe coreografias de grupos de todas as idades, profissionais ou amadores, de 10 gêneros diferentes: do Ballet Clássico à Dança Contemporânea, Danças Urbanas e o fenômeno K-Pop.

Cena Comentada é uma das novidades

Um dos destaques da programação atualmente é a Cena Comentada, uma sessão especial e com vagas limitadas em que grupos são avaliados por três profissionais convidados da área.  

— Os grupos inscritos terão acesso a uma avaliação por escrito sobre aspectos como composições coreográficas, técnica, musicalidade e figurino. O propósito é incentivar os diretores e bailarinos a melhorarem suas performances — explica Aline Menezes.

Urbanas em Cena

Uma das sessões mais aguardadas do evento é o Urbanas em Cena, sessão especial da programação da Mostra de Dança com inscrições restritas às danças urbanas, mas aberta a todas as categorias. Trata-se de uma grande celebração coletiva à cultura Hip Hop que conta com a participação de convidados especiais e intervenções artísticas.

Dança em Cena
Organização e Produção: Marte Cultural
Direção Artística: Aline Menezes

Seja um Patrocinador
Acessar a página do Projeto 

artecont.jpg

26 de dezembro de 2020

Somos a produtora por trás da organização do Prêmio AF de Arte Contemporânea. Uma das principais premiações artísticas de Santa Catarina, a cada ano o projeto oferece oportunidade única para a profissionalização de artistas em início de carreira. É por isso que além de premiar os três primeiros colocados com uma mostra coletiva, o Prêmio fornece uma bolsa de estudos na França para o primeiro colocado, que recebe passagens, ajuda de custo e uma residência artística de 3 meses na Cité Internationale des Artes em Paris.

O que é o Prêmio AF?

Idealizado pela Aliança Francesa Florianópolis, o projeto tem o propósito de promover artistas talentosos que ainda não despontaram no panorama nacional ou internacional contemporâneo. Ao longo de seis edições, colaborou para movimentar a cena das artes visuais de SC e do Sul do país, apresentou ao circuito artistas jovens e projetou nomes já conhecidos na cena local.

O objetivo do Prêmio AF de Arte Contemporânea é destacar artistas de qualquer idade, e que possuam portfólio coerente, além de demonstrar o espírito de exploração e desenvolvimento de novas perspectivas no domínio de trabalho escolhido. Desde o início da premiação, em 2014, o número de artistas inscritos vem crescendo, bem como a qualidade dos trabalhos apresentados.

— O papel de um centro cultural como a Aliança francesa é oferecer oportunidades e visibilidade aos artistas. A AF permite fazer a ponte entre a cultura e o público — afirma Marilyn Pellicant, diretora geral da AF Florianópolis.

E qual é a premiação?

Anualmente, a premiação define três finalistas e o vencedor é decidido por um comitê artístico no Instutut Français em Paris. Além da participação na mostra, os três finalistas ganham semestres de francês na Aliança Francesa Florianópolis e participam de uma exposição coletiva. O grande vencedor recebe uma residência artística na Cité Internationale des Arts, em Paris, por até três meses, com passagens e estadia pagas, além de ajuda de custo. Inaugurada em 1965, a Cité é uma instituição reconhecida mundialmente por ser uma residência-ateliê para artistas de todas as especialidades e nacionalidades.

Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea
Organização e Produção: Marte Cultural
Realização: Aliança Francesa de Florianópolis, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal

Seja um Patrocinador
Acessar a página do Projeto 

ccq2-1.jpg

26 de dezembro de 2020

Frequentemente considerado o melhor festival de quadrinhos e cultura Pop de Santa Catarina, o Circuito Catarinense de Quadrinhos celebra o universo da Arte e Cultura Geek em vários dias de programação. Atualmente o evento é realizado com entrada totalmente gratuita e atrações para todas as idades. Apresenta, simultaneamente, exposições, sessões de cinema, espaço de jogos e leitura, cosplay contest, master classes e Feira dos Artistas. Só em 2019, o evento contou com mais de 200 atividades programadas, sobretudo ações voltadas à formação e profissionalização do setor.

 — Ser geek é ser um fã apaixonado. A verdade é que somos todos fãs de alguém, colecionamos algo, somos críticos de filmes, gostamos de usar fantasias, passar horas lendo livros e HQs, adoramos “maratonar” séries… E isso, enfim, é o universo geek — diz José Mathias, um dos idealizadores do Circuito junto a Bruno Flesch.

Hall dos Artistas: artes originais e contato de perto com artistas

Definitivamente, o Hall dos Artistas é uma das principais atrações do Circuito Catarinense de Quadrinhos. Trata-se de um espaço democrático para que artistas já consagrados e também os novos e amadores possam mostrar seus trabalhos, interagir com o público e vender prints, sketchbooks, artes originais, bem como outros materiais relacionados ao universo das HQs.  Além de artista convidados, participam da feira artistas individuais, coletivos, escolas, estúdios e selos.

Quem já participou?

Entre os nomes que já passaram pela feira estão Manu Cunhas, autora de Outras Meninas; Ricardo Manhães, autor de Gothic Girl; Maurício Paiva, de O Fadólico; Diogo Azê, de Alien Ninja; Klewerton, do Buena Lucha; Davi Calil, do Uma Noite em L’Enfer; Carol Pimentel, da Panini Comics; Edu Vieira e Magenta King, igualmente professores da Quanta Academia de Artes.

Circuito Catarinense de Quadrinhos.
Organização: Marte Cultural
Realização: Circuito Catarinense de Quadrinhos

Seja um Patrocinador
Acessar a página do Projeto 

ocaco2.jpg

23 de dezembro de 2020

O projeto “O Caco não Lava o Pé” foi desenvolvido através de uma parceria da Marte Cultural com a Elefants Companhia de Teatro, de Florianópolis. Com o objetivo de integrar arte e educação em torno de uma mensagem que promovesse os hábitos saudáveis nas crianças, o projeto contou com 2 produtos culturais: uma peça de teatro e um livro infantil.

Construída a partir de jogos e, sobretudo, da acepção do “faz-de-conta”, a narrativa utilizada nesses dois produtos conta a história de Caco, um menino que não gostava muito de tomar banho e escovar os dentes. Esse mau hábito, contudo, muitas vezes fazia com que a brincadeira durasse pouco, devido à dor de barriga e às dores de dente que ele tinha. Mas com a ajuda de sua amiga Lala e seu urso Olavo, ele acaba descobrindo a importância de ter cuidar da saúde e da higiêne.

Enredo 

A história é contada a partir do ponto de vista da criança, reduzindo o didatismo e enfatizando a função simbólica do teatro, diminuindo assim o abismo entre o universo mágico e o realista. Para isso, aposta no visual lúdico e colorido, que inclui brinquedos recicláveis, pipa e um carrinho gigante para transportar Olavo para todos os lados, e traz uma série de canções que são cantadas junto com as crianças. No dia do espetáculo, as crianças também receberam o livro ilustrado com a história do Caco, para levarem para casa as lições aprendidas e guardarem a lembrança vivida com o teatro.

Apresentações em Escolas

As apresentações  foram realizadas no decorrer do segundo semestre de 2017, em dias de semana, em instituições de ensino sugeridas pelo setor Mapa das Artes, da Secretaria Municipal de Educação, contemplando prioritariamente as instituições que estão localizadas em regiões mais carentes da capital catarinense.

Parceiros

O Caco não Lava o Pé foi viabilizado a partir de uma parceria da Marte Cultural e da Elefants Companhia de Teatro, com o apoio cultural da Pixeon e o patrocínio do Município de Florianópolis por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura nº 3659/91.

 

Seja um Patrocinador

weli.jpg

22 de dezembro de 2020

Vem aí o primeiro Festival de Luz de Santa Catarina.  A ideia do evento é contribuir para que o estado se torne, cada vez mais, um centro reconhecido pela pesquisa, circulação e desenvolvimento de trabalhos dedicados à relação entre artes visuais, tecnologia e cidade. Contando com o desenvolvimento e exibição de obras de arte que utilizem as novas mídias como ponto  de partida e os problemas do mundo contemporâneo como fontes de inspiração e reflexão, o projeto irá explorar a projeção de luz nos mais variados formatos (site specific, live cinema, performances audiovisuais, video mapping, instalações de LED, etc).

Ao redor do mundo, têm se tornado cada vez mais populares e encantadores os festivais de luzes. Cidades como Nova Iorque, Amsterdam, Berlim, Frankfurt, Bruxelas, Lyon, Sydney, São Paulo e Rio de Janeiro, têm apresentado espetáculos visuais surpreendentes que combinam arte, tecnologia, ciência e arquitetura. Em alguns eventos, belas obras lúdicas e surreais guiam e interagem com o visitante ao longo de um percurso de experiências emocionais e sensoriais em um verdadeiro show de cores e formas e, em alguns casos, sons.

Eventos desta natureza têm um enorme potencial de ressignificar monumentos, prédios e pontos importantes dos locais onde são realizados, dando a eles novos ares e restabelecendo o vínculo das pessoas com a cidade. Com aspecto singular de diversidade, estes festivais são um verdadeiro espaço de encontro experimental para a criação e troca, com o seu pensamento inovador no campo das artes audiovisuais. As apresentações em grande escala, em praças e prédios públicos, oferecem aos visitantes a chance de se deparar com novas interpretações dos espaços familiares e descobrir lugares menos conhecidos na cidade, além de reconfigurar olhares sobre nossa paisagem urbana, levando a arte para espaços inimagináveis, de forma lúdica e com conteúdos relevantes.

Disruptura

Em sua primeira edição, o festival estará aberto a receber obras com interpretações artísticas e inventivas em torno do tema “disruptura.” Ato de romper, de interromper o curso natural, a disrupção de um processo também pode significar altas doses de perturbação. As disrupturas muitas vezes são vistas como inconvenientes, mas em outras tantas são essenciais para transformação e superação de processos ultrapassados ou
prejudiciais. O We Light Floripa convida artistas a representarem rupturas necessárias, explorando criativamente este conceito em suas
obras, seja através de formas figurativas ou poéticas intrigantes, com ou sem uso do som, de forma a despertar no público interrogações
pertinentes sobre o mundo em que vivemos.

Conteúdo
  • Projeções Mapeadas em grande formato
  • Live Cinema
  • Mostra de Videoarte e Vídeo experimental
  • Instalações e esculturas de Luz
  • Apresentações audiovisuais
  • Oficinas e workshops

Observação: Imagens meramente ilustrativas.

We Light Floripa. O primeiro Festival de Luz de Santa Catarina.
Idealização, Organização e Produção: Marte Cultural

Seja um Patrocinador
Saiba mais sobre festivais de luz

senior.jpg

22 de dezembro de 2020

O projeto Sessão Sênior de Cinema promove experiências únicas e o acesso gratuito ao universo lúdico dos filmes para pessoas da terceira idade. Tendo em vista que a partir dos 60 anos, de maneira geral, a renda das pessoas diminui e os gastos, especialmente com remédios, só aumentam, é essencial que o governo e a sociedade planejem e executem  alternativas acessíveis de entretenimento para esta camada tão especial de cidadãos.  Com temporadas anuais, o projeto oferece uma programação que busca despertar boas lembranças e um sentimentos positivas através do universo lúdico dos filmes. Além disso, a ação visa melhorar a qualidade de vida e a sociabilidade dos participantes através de uma atividade cultural que pode ser vivida em conjunto com familiares e amigos.

Qualidade de vida na terceira idade

Atualmente, a qualidade de vida na terceira idade tem sido motivo de amplas discussões em todo o mundo. Existe, entre os especialistas, uma grande preocupação em preservar a saúde e o bem-estar global dessa parcela da população para que tenham um envelhecer com dignidade.  Esta questão ganha ainda mais relevância quando pensamos que o envelhecimento populacional é um fenômeno mundial e, anualmente,  esse processo se torna maior nos países em desenvolvimento, podendo ocorrer um aumento de até 300% no número de pessoas idosas, especialmente na América Latina, de acordo com uma pesquisa do jornal inglês International Journal of Epidemiology.

Especificamente para os idosos, as atividades de lazer vão melhorar sua saúde em vários aspectos. Do ponto de vista físico, podem propiciar fortalecimento do sistema imunológico e uma melhora da mobilidade, flexibilidade, equilíbrio corporal e força muscular. No aspecto mental, que é o que nos interessa nesse projeto, vão melhorar a memória, o raciocínio e a velocidade do funcionamento e do metabolismo cerebral como um todo. No aspecto emocional, diminuem a tendência ao isolamento e à depressão, situações infelizmente bastante comuns na terceira idade, através de uma melhora nos relacionamentos interpessoais, com a possibilidade de formação de uma ampla rede social e de amigos. 

Inspiração em Nova Iorque

Referência em programas sociais atualmente, a prefeitura de Nova Iorque mantêm programas um programa de cinema para a terceira idade, se utilizando de um equipamento pouco utilizado, por ser estritamente comercial, para gerar experiências únicas que ajudam as sua população idosa a manter a saúde mental, vivenciando uma atividade de lazer que só traz benefícios, como é o caso do cinema. 

Edições de 2017 e 2018 foram um sucesso de público

Como experimentação para um projeto maior, realizamos 2 temporadas do projeto em Florianópolis. Ao todo, foram mais de 30 sessões abertas ao público que atingiram uma taxa de lotação superior à 85%. Além disso, foram realizadas mais de 20 sessões especiais de cinema em casas de acolhimento de idosos e um cineclube em parceria com o Núcleo de Estudos da Terceira Idade da Universidade Federal de Santa Catarina.

O futuro do Sessão Sênior de Cinema

Com a experiência adquirida e a demanda cada vez maior deste tipo de ação, e tendo em vista que o cinema é o produto cultural mais desejado dos brasileiros, o projeto está em fase de captação de recursos para iniciar uma atuação em várias capitais do país. Esperamos trazer novidade muito em breve.

Sessão Sênior de Cinema
Idealização, Organização e Produção: Marte Cultural

Seja um Patrocinador
Acessar a página do Projeto no Facebook