BLOG

Materiais e Notícias
sobre o nosso mundo

Por enquanto é isso… ;-)
IMG_1522-1200x800.jpg

Musical inédito em Florianópolis apresenta a história do chorinho para crianças. O espetáculo gratuito faz parte do projeto Concertos AF, da Aliança Francesa de Florianópolis. Apresentação será no dia 26, às 11h30, no Villa Romana Shopping, e é acessível para pessoas com deficiência visual


Pela primeira vez, Florianópolis recebe o espetáculo Sarauzinho# – A História do Chorinho para Crianças, um musical indicado para todas as idades. A montagem é do premiado grupo Sarau# Trio, de Joinville, e terá apresentação única no próximo domingo (26), às 11h30, no Villa Romana Shopping, em Florianópolis. O show integra a programação do projeto Concertos AF, promovido pela Aliança Francesa de Florianópolis. Gratuito e acessível para pessoas com deficiência visual.

Com roteiro e direção cênica assinado por Ângela Finardi e figurinos de Caren Negrelli, Sarauzinho# conta a história do choro, gênero musical que é considerado o primeiro genuinamente brasileiro, ainda antes do samba. O espetáculo combina diferentes linguagens — formas animadas, música e contação de histórias — para conduzir o público até o século 19, quando esse estilo instrumental surgiu no Brasil, e depois de volta a 2021 para apresentar aos pequenos os compositores contemporâneos, como Hamilton de Holanda. Além dele, estão no repertório canções de grandes nomes, como Pixinguinha e Jacob do Bandolim.

— É um espetáculo para que as crianças entendam que o chorinho é um bem imaterial brasileiro. Para que se sintam incluídas e entendam a riqueza da nossa música. Acima de tudo, para que se divirtam nesse processo de aprendizado — diz a pianista Marisa Toledo, do Sarau# Trio. 

O musical conta ainda com um personagem carismático, Joaquim, um cadeirante espirituoso que interage com a criançada e, brincando, contribui para o protagonismo da pessoa com deficiência em diversos setores da sociedade.  

O Sarau# Trio foi criado em 2014 em Joinville. É formado pelos músicos Cláudio Moraes (sax/flauta), Marisa Toledo (piano) e Rafael Vieira (bateria e percussão). Desde que surgiu, o grupo atua com iniciativas musicais autênticas e com reinterpretações da música brasileira. O trio tem um trabalho dedicado especialmente para crianças. Há  anos leva projetos de música para escolas públicas. O trio já foi premiado com o edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura.  

Aliança Francesa de Florianópolis promove música instrumental


A apresentação de Sarauzinho# – A História do Chorinho para Crianças faz parte do Concertos AF, projeto da Aliança Francesa de Florianópolis que promove música instrumental, de câmara e erudita em Florianópolis, sempre gratuitamente. Além do Concertos AF, a instituição também promove o Sexta Jazz AF, entre outros, dedicado especialmente ao jazz e que hoje é considerado um dos principais projetos do estilo na cidade.  

O musical do próximo domingo (26) tem o propósito de promover o conhecimento de pais e crianças sobre um dos ritmos mais importantes da música brasileira. Vale pontuar que o espetáculo é acessível para pessoas com deficiência visual. Estarão disponíveis  10 equipamentos de audiodescrição ao vivo.

O Concertos AF é viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura com patrocínios da ENGIE, Da Magrinha e Villa Romana Shopping. Produção da Marte Cultural. Realização da Aliança Francesa de Florianópolis, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. 

 

Agende-se 


Concertos AF apresenta: Sarauzinho# – A História do Chorinho para crianças

Quando: domingo, 26/12, às 11h30
Onde: Cinesystem do Villa Romana Shopping (Av. Me. Benvenuta, 687 – Santa Mônica, Florianópolis)
Gratuito. Acesso por ordem de chegada, a partir das 11h
Classificação: Livre. Indicado para crianças de 6 a 10 anos
Acessível: audiodescrição ao vivo com 10 equipamentos disponíveis
Escolas: 50% dos ingressos são reservados aos alunos (e responsáveis) de escolas públicas de ensino, basta indicar o nome da escola na entrada

Ir para o site da Aliança Francesa
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes

 


1625698526_The-Addams-Family-2-New-Animation-Trailer-Brings-a-Lot.jpg

Família Addams 2 em exibição no projeto Sessões Animadas .Filme volta às telonas para exibição gratuita em Florianópolis. A animação terá sessão grátis para curtir em família neste sábado (11), às 11h, no Villa Romana Shopping. Exibição terá audiodescrição para pessoas com deficiência visual e tradução em LIBRAS

A família mais sinistra e fofa dos cinemas pega estrada nesta sequência da animação criada por Greg Tiernan e Conrad Vernon, mesma dupla responsável pelo filme anterior, lançado em 2019. O longa é a atração da próxima edição das Sessões Animadas no dia 11/12, às 11h, no Cinesystem do Villa Romana Shopping, em Florianópolis. Gratuito! A sessão é acessível para pessoas com deficiência visual e auditiva. Estarão disponíveis dois aparelhos de audiodescrição simultânea, basta procurar a equipe do projeto. O filme também terá tradução em LIBRAS (humano e avatar), além de recurso closed caption (legendas e descrição escrita das cenas). 

Os ingressos são gratuitos e distribuídos com uma hora de antecedência ao início do filme. A distribuição é feita mediante cadastro rápido (nome e e-mail de um dos responsáveis) e por ordem de chegada.  As vagas são limitadas e respeitam o distanciamento seguro. 


Viagem num trailer assombrado

Em A Família Addams 2: Pé Na Estrada, o clã embarca em um trailer mal-assombrado para uma viagem pelos Estados Unidos. A aventura tem também o propósito de unir a família. Isso porque a personagem Wandinha, em meio a pesquisas sobre a adulteração de personalidades, cria uma crise familiar. Na tentativa de reaproximar filhos, irmão (tio Chico) e Mortícia, o patriarca Gomez planeja uma road trip pelo país.  

Os personagens foram criados por Charles Addams (1912-1988) em 1930 e nasceram a partir das tiras de quadrinhos do cartunista norte-americano — uma sátira da família tradicional americana. Ao longo das décadas, a história da família foi adaptada para a televisão e para o cinema. O clã é formado por Gomez e Mortícia, seus filhos Wandinha e Feioso, Tio Fester, o mordomo Tropeço, o primo Itt, Vovó Addams e a decepada Mãozinha. Apesar da natureza macabra e bizarra, a família sempre foi reconhecida pelo amor que os integrantes têm um pelo outro. 

Protocolos Sanitários

As exibições do projeto Sessões Animadas seguem rigorosos processos de higiene para assegurar a segurança de todos e todas. O sistema de refrigeração central tem renovação contínua de ar externo e as poltronas são marcadas para garantir o distanciamento adequado do público. Máscaras são obrigatórias e álcool gel está disponível para todos os usuários.

As Sessões Animadas são totalmente patrocinadas pela Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura nº 3659/91. O projeto tem o apoio cultural do Villa Romana Shopping. A coordenação geral é da Marte Cultural.

Agende-se

Sessões Animadas: A Família Addams 2: Pé Na Estrada
Filme acessível em audiodescrição, closed caption e LIBRAS
Quando: sábado, 11/12, às 11h
Onde: Cinesystem (Piso L3) do Villa Romana Shopping (Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica, Florianópolis)
Quanto: gratuito
Classificação: Livre. Animação, 93 min

Ir para o site do projeto
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes

 


sympla-CIC-1200x628.jpeg

Festival Dança em Trânsito chega a Floripa em dezembro .Primeira edição com formato híbrido, evento percorre 25 cidades de norte a sul do Brasil com programação online e presencial e atrações de 10 países  

Depois de apresentar uma edição totalmente online — indicada ao Prêmio Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) na categoria Difusão —, o festival internacional de dança contemporânea Dança em Trânsito retorna às ruas e palcos do país ao mesmo tempo em que incorpora a programação virtual em um inédito formato híbrido. De norte a sul do Brasil, 25 cidades de dez estados estão envolvidas com residências, projetos formativos, mentorias e intercâmbios. A edição em Florianópolis será no dia 17 de dezembro, com espetáculos de cinco companhias brasileiras e uma uruguaia. As apresentações serão na Praça XV de Novembro, na escadaria e Largo da Catedral e nos teatros Ademir Rosa (CIC) e Pedro Ivo, entre às 15h e 21h. Tudo gratuito. Também está agendada uma oficina com o bailarino uruguaio Christian Moyano.

Dentre as atrações na capital estão a Laso Cia de Dança, com a coreografia Risco do Asfalto; o Grupo Tápias (RJ), Cia associada ao festival dirigida por Flávia Tápias, que faz a estreia de sua nova coreografia, IMPREVISTO, onde o amor acontece, baseada no poema homônimo de Fernanda Estrella;  o uruguaio Christian Moyano, com Pauza, uma reflexão sobre as questões da quarentena, e a Cia Mário Nascimento, que encerra a noite com O Homem Invisível. Além da capital, o festival passa ainda por Alto Bela Vista (15/12) e Capivari de Baixo (18/12). 

A programação do Dança em Trânsito 2021 começou virtualmente em março. Já as apresentações presenciais começaram em 6 de novembro.  No total, o festival conta com espetáculos de 27 companhias do Brasil, Alemanha, Canadá, Espanha, França, Israel, México, Portugal, Suíça e Uruguai, transmissões de vídeos e residências de criação e oficinas gratuitas.

O 19º Dança em Trânsito é apresentado pelo Ministério do Turismo e apresentado e patrocinado pelo Instituto Cultural Vale, Banco do Brasil, Engie e Volkswagen Caminhões e Ônibus.

 

Programação em Florianópolis terá cinco espetáculos gratuitos


A programação na capital terá três apresentações ao ar livre, na região central, e três no teatro. No dia 17, às 15h, a Laso Cia de Dança apresenta a Risco do Asfalto na escadaria da Catedral.  Logo mais, às 16h, o uruguaio Christian Moyano apresenta a coreografia Pauza no Largo da Catedral. Às 16h15, o duo brasileiro Anyel Aram e Nayane Fernandes apresenta a coreografia Os Equilibristas na Praça XV de Novembro.

No Teatro Ademir Rosa (CIC), às 19h30, será apresentado o espetáculo Memória de Brinquedo, da Curitiba Cia de Dança, no Teatro Ademir Rosa, no CIC. A entrada é gratuita e o acesso é por ordem de chegada a partir das 19h. É necessária inscrição antecipada neste link.  

O Teatro Pedro Ivo Campos será palco para duas montagens: O Homem Invisível, com a Cia Mário Nascimento (Brasil); e IMPREVISTO, onde o amor acontece, do Grupo Tápias, a partir das 21h. Para participar gratuitamente, basta se inscrever antecipadamente na plataforma Sympla. A entrada será por ordem de chegada a partir das 20h. Leia as sinopses abaixo.

 

Inscrições para oficina em Florianópolis

Já estão abertas as inscrições para a oficina Movimento Contemporâneo, que será ministrada em Florianópolis pelo celebrado bailarino uruguaio Christian Moyano. O workshop é gratuito e faz parte da programação do festival Dança em Trânsito na Capital. O curso será na Cenarium Escola de Dança e é indicado para quem já tem algum conhecimento em técnica de movimento.  Inscrições podem ser feitas pelo site www.dancaemtransito.com.br.

A oficina Movimento Contemporâneo foi concebida para potencializar a criatividade reflexiva, desde a apropriação de elementos técnicos à improvisação e composição. Prepara o corpo para valorizar sua diversidade, explorando diferentes ferramentas. A  ideia é convidar os participantes a investigar e treinar de forma consciente para integrar novos padrões de movimento baseados na fluidez, agilidade, potência, resistência, trabalho de solo, em conexão com a dança contemporânea.

Christian Moyano é bailarino e coreógrafo formado pela Escola Nacional de Dança SODRE, no Uruguai. Já dançou clássicos como Giselle e Lago dos Cisnes, com a SODRE National Ballet, e também espetáculos contemporâneos em companhias como a Cia de Dança Martin Inthamoussú.

 

 

 

Programação em Florianópolis

Festival Dança em Trânsito chega a Floripa em dezembro .

Sexta, 17/12

12h às 14h – Cenarium Escola de Dança: Oficina com Christian Moyano (URU)

15h – Escadaria da Catedral: Risco do Asfalto, da Laso Cia de Dança (Brasil)

16h – Largo da Catedral: Pauza, de Christian Moyano (Uruguai)

16h15 – Praça XV de Novembro: Os Equilibristas, de Anyel Aram e Nayane Fernandes (Brasil)

19h30 – no Teatro Ademir Rosa, no CIC: Memória de Brinquedo, da Curitiba Cia de Dança (Brasil)

21h – Teatro Pedro Ivo Campos: O Homem Invisível, com a Cia Mário Nascimento (Brasil); e IMPREVISTO, onde o amor acontece, do Grupo Tápias 

 

Sinopses

 

Os Equilibristas, de Anyel Aram e Nayane Fernandes (Brasil)
A pandemia causada pelo novo coronavírus fez o mundo parar, mas pausa também é movimento e por meio desse movimento surgiu a vontade de se reinventar, de manter mesmo que na corda bamba o mover da arte. Os Equilibristas é um duo criado e interpretado por Anyel Aram e Nayane Fernandes que grita com a música e com o corpo a vontade de persistir, resistir e seguir compartilhando arte, afinal de contas, o show tem que continuar.

Anyel Aram, natural do Rio de Janeiro, é dançarino e coreógrafo.  Sua pesquisa envolve danças urbanas e dança contemporânea por meio do novo formato online e aprofunda o estilo video dance. Além de ter ministrado cursos em várias partes do mundo, já dançou na abertura das Olimpíadas Rio2016 e no Rock in Rio 2019, entre outros. Nayane Fernandes, natural de Goiânia, é dançarina, coreógrafa, preparadora corporal e diretora de movimento. Já se apresentou no Rock in Rio 2015 e 2017 no Palco Street Dance e em 2019 no Palco NDO. Se apresentou na abertura das Olimpíadas Rio 2016. Atualmente coreografa filmes publicitários para grandes campanhas. Duração 3 minutos. Classificação livre.

 

Pauza, de Christian Moyano

Uma interrupção no movimento. Nossos dias se tornaram uma distopia. O corpo teve que fazer uma pausa e buscar novas estratégias para se mover novamente. Uma pausa que se transformou em PAUZA. Uma nova forma de silêncio, de imobilidade. Uma interrupção no movimento.
Christian Moyano Vanzuli nasceu em Montevidéu, Uruguai, é dançarino, coreógrafo e professor. Formou-se na Nation Ballet School SODRE em 2011 e foi premiado em 2012 com uma bolsa PI (Proyecto de Intercambio) na Fundación Julio Bocca (Argentina) para continuar seus estudos. Recentemente, foi bailarino da Cia de Danza Contemporánea Martín Inthamoussú.  Classificação livre.

O Homem Invisível, da Cia Mário Nascimento

O homem aqui retratado como invisível é o próprio artista Mário Nascimento, que se propõe, aos 50 anos, realizar uma ode à criação. O ato de criar é sempre uma tentativa de contraposição ao estereotipado, ao que já é conhecido. Criar exige adentrar em territórios desconhecidos e se deixar levar ao caos, ao terremoto, e assim, na instabilidade do desconhecido, fazer nascer o objeto da criação. No caso do artista Mário Nascimento, este objeto nasceu em forma de movimento, de linguagem corporal e estética e, este homem que hoje é visível, nasceu do confronto entre a invisibilidade que lhe fora imposta e o seu desejo por existir no mundo.

Mário Nascimento tem mais de 30 anos de carreira como bailarino, professor e criador. Construiu uma assinatura própria e sua trajetória tem como bases técnicas a dança moderna e clássica, artes marciais, atletismo, música (percussão) e técnicas de dança contemporânea. Hoje é diretor artístico do Corpo de Dança do Amazonas. Duração 30 minutos. Classificação livre.

 

Memória de Brinquedo, da Curitiba Cia de Dança

Memória de Brinquedo é um espetáculo de dança contemporânea que celebra histórias, lembranças e sensações tecidas e criadas ao longo da infância. Criado e coreografado por Luiz Fernando Bongiovanni, com direção artística de Nicole Vanoni, o espetáculo busca colaborar com a reflexão sobre o mundo tecnológico e a ludicidade.

Luiz Fernando Bongiovanni foi bailarino por mais de 20 anos, metade deles passados na Europa: Cullberg Ballet e Ballet da Ópera de Gotemburgo, ambos na Suécia; Scapino Ballet, em Roterdã, na Holanda, e no Ballet da Ópera de Zurique, na Suíça, e antes disso, no Brasil, no Balé da Cidade de São Paulo. Duração 45 minutos. Classificação livre.

 

Risco do Asfalto, da Laso Cia de Dança

É uma conversa corpo a partir de estados vulneráveis. É uma corrida queda entre a pureza e o perigo das ruas. É um depoimento manifesto sobre o risco e o que existe nele. Nesta dança, criada por Carlos Laerte, movimentos repetidos e gastos em verdades,  revelam calejos pessoais que surgem do atrito do corpo pelo mundo.  É na potência da falha e no desvio a partir do erro, que insistimos nos encontros. O espaço escolhido para cada dança/acontecimento produz uma suspensão que nos convida a abrir mão do acerto para o real, criando uma espontaneidade  que revela a exposição  entre todos  os presentes. 

Carlos Laerte é diretor e coreógrafo natural do Rio de Janeiro. Bacharel em Cinema, com especialização em documentário, concluiu sua formação artística em Nova York. Criou a Laso Cia de Dança Contemporânea com a qual desenvolve um trabalho  próprio de pesquisa corporal e dramatúrgica, trazendo  o cinema em suas pesquisas coreográficas ao criar  uma intercessão entre os dois universos. Com mais de 14 obras em seu repertório, a cia vem recebendo premiações e críticas importantes no segmento de dança/teatro.  Duração 25 minutos. Classificação livre.

 

IMPREVISTO, onde o amor acontece, do Grupo Tápias
A batida original é involuntária.

Não quero ser pedra.

Eu, movimento.

Virei semente, folha, gente.

Sou parte, inteira.

Rezo, giro.

O todo é o que me sustenta.

Ventou lá fora, esquenta.

Compasso inesperado.

Eu, suspiro.

Passou um pássaro e disse,

O acaso é destino.

Eu, vivo.


A montagem foi criada por Flávia Tápias,  coreógrafa, intérprete e professora de dança contemporânea graduada pela Faculdade Angel Vianna no Brasil. É integrante do Grupo Tápias desde 1998, no qual atua até hoje, juntamente à coreógrafa Giselle Tápias. Atua como professora de técnica de dança contemporânea e composição coreográfica em diversos festivais e mostras internacionais. Duração 20 minutos. Classificação livre.

 

Informações para a imprensa:

 Carol Macário

48 99930-5598

carol.macario@gmail.com

carol.macario@revistagulliver.com.br 

 

DANÇA EM TRÂNSITO – 19ª edição

De 6 de novembro a 19 de dezembro de 2021

Programação completa e inscrições: www.dancaemtransito.com.br

Apresentação: Ministério do Turismo

Apresentação e Patrocínio: Instituto Cultural Vale, Banco do Brasil, Engie e VW Caminhões e Ônibus

Direção geral: Giselle Tápias

Direção artística e curadoria geral: Giselle Tápias e Flávia Tápias

Direção de Produção: Espaço Tápias

Coordenação geral e contatos artísticos: Letícia Kaminski

Produção Nacional: LIMENTO

Produção em Florianópolis: Marte Cultural

Equipe de streaming: André Monteiro

Redes sociais: INOVA BRAND

Programação do site e suporte de TI: João Rodrigues Stebanez

Design Gráfico e web design: Fernanda Vallois | TRUQUE

Tradução e revisão dos textos: Letícia Kaminski

Fotografia e vídeo: Fernanda Vallois | TRUQUE

Equipe de apoio: Spectaculu Escola de Arte e Tecnologia

 

Conheça as nossas soluções para patrocinadores

Conheça as nossas soluções para proponentes


30716134_10155313441852617_5774806107562180608_n.jpg

Domingo com Teatro traz a magia do circo em dezembro. Projeto semanal promove teatro infantil com entrada gratuita todos os domingos em Florianópolis

O encerramento da temporada 2021 do Domingo com Teatro celebra a arte circense. Ao longo de dezembro, o projeto promove três espetáculos infantis gratuitos para curtir em família. No dia 5, o tradicional grupo Circus Fever abre a programação do mês com um solo de palhaçaria Circomedia. A apresentação será no dia 5/12, às 11h30, no Villa Romana Shopping, na Capital. A entrada é gratuita. 

No dia 12, o mágico JackMaxy apresenta Aventuras Mágicas, um show no qual será apresentado uma das técnicas mais difíceis no mundo da mágica: a manipulação de objetos. Para fechar, no dia 19 de dezembro a Cia La Báskara apresenta a peça Circologia, montagem na qual o personagem O-Deodato mostra entradas tradicionais do circo com muito humor, malabarismo com esferas, globologia e equilibrismo.

Projeto promove teatro infantil desde 2012

O Domingo com Teatro começou em 2012 e desde então reúne uma média de 13 mil pessoas por ano, entre crianças e adultos, em sessões semanais sempre lotadas. Uma vez por mês, as apresentações contam com tradução em LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais.

Protocolos Sanitários: a sala do cinema tem sistema de refrigeração central com renovação contínua de ar externo e as poltronas são marcadas e com distanciamento do público. Máscaras são obrigatórias e álcool gel está disponível para todos os usuários.

As apresentações do projeto Domingo com Teatro são patrocinadas pelo município de Florianópolis, pela Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer e pela Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura nº 3659/91. O projeto tem o apoio cultural do Villa Romana Florianópolis e do Cinesystem. A coordenação geral da Marte Cultural.

 

Programação de dezembro de 2021

Domingo com Teatro traz a magia do circo em dezembro

 

Dia 5/12 – Circomedia, com o Circus Fever

Querido pelo público do Domingo com Teatro, o Palhaço Leleco está de volta para um espetáculo solo. Na montagem, ele apresenta um show de variedades circenses: malabarismos, mágica e equilibrismo. Tem também as trapalhadas de sempre que provocam gargalhadas nas crianças e adultos. O Circus Fever é uma companhia já tradicional em Santa Catarina. Foi fundada em 2001 e, além de espetáculos, também atua com ensino da arte circense.

Quando: 5/12/2021, às 11h30
Onde: Cinesystem – Villa Romana Shopping (Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica, Florianópolis)
Gratuito
Classificação: Livre
Informações: https://marte.art.br/domingocomteatro/ e www.facebook.com/domingocomteatro
Siga-nos também no Instagram: @domingocomteatro

 

Dia 12/12 – Aventuras Mágicas, com Mágico JackMaxy

O mágico JackMaxy apresenta uma das técnicas mais difíceis no mundo da arte mágica: a manipulação de objetos. No espetáculo, o artista mostra uma variedade de aparelhos e itens que são clássicos desse universo para criar uma atmosfera única e que desafia as leis da física. Uma peça para curtir em família e ver a transformação do impossível.

Quando: 12/12/2021, às 11h30
Onde: Cinesystem – Villa Romana Shopping (Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica, Florianópolis)
Gratuito
Classificação: Livre
Informações: https://marte.art.br/domingocomteatro/ e www.facebook.com/domingocomteatro.
Siga-nos também no Instagram: @domingocomteatro

 

Dia 19/12 – Circologia, com a Cia. La Báskara

Espetáculo com tradução em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais)

A Cia La Báskara leva para o palco do Domingo com Teatro a arte do circo num espetáculo que agrega humor, malabarismo com esferas, globologia e equilibrismo. Na montagem, o personagem O-Deodato esbanja improvisação e convida o público a participar. Na trama, O-Deodato conta que percorre o mundo procurando uma filosofia e que procura manter premissa: “a vida é um circo, o mundo é uma escola!”

Espetáculo acessível: a apresentação terá tradução em LIBRAS – Língua Brasileira dos Sinais.

Quando: 19/12/2021, às 11h30
Onde: Cinesystem – Villa Romana Shopping (Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica, Florianópolis)
Gratuito
Classificação: Livre
Informações: https://marte.art.br/domingocomteatro/ e www.facebook.com/domingocomteatro
Siga-nos também no Instagram: @domingocomteatro

 

Ir para o site do projeto
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes

Herbie-Hancock-GettyImages-84844147.jpg

Última edição do ano do Sexta Jazz AF terá homenagem a Herbie Hancock no dia 26 de novembro

Principal projeto de jazz e música instrumental de Florianópolis encerra temporada 2021. A entrada é gratuita e as vagas são limitadas e exclusivas para pessoas com vacinação completa contra a Covid-19 

 

A última edição da temporada 2021 do Sexta Jazz AF apresenta no dia 26 de novembro o Especial Herbie Hancock. O pianista e compositor norte-americano de 81 anos é um dos últimos gigantes do jazz ainda em atividade, um músico que influenciou não só o jazz como  também a música pop mundial. Para a homenagem, os convidados Gian Tomasi (sax) e Fábio Oliveira (piano) se juntam aos músicos curadores Tiê Pereira (baixo) e Mauro Borghezan (bateria). O Sexta Jazz AF – Especial Herbie Hancock será no dia 26/11, às 20h. A entrada é gratuita e por ordem de chegada a partir das 19h. 

Para participar, é necessário inscrição prévia no site da Aliança Francesa de Florianópolis (www.affloripa.com.br). O cadastro pode ser feito na hora. Também será preciso comprovar a  vacinação com a 2ª dose (D2) para adultos (acima de 18 anos). Adolescentes (12-17 anos) poderão acessar o evento com uma dose e crianças são dispensadas (pois não puderam se vacinar ainda). Não serão aceitos testes. As vagas são limitadas para respeitar o distanciamento social e o uso de máscara é obrigatório. O evento também será transmitido pelo Youtube da AF Florianópolis.

O Sexta Jazz AF é realizado desde 2014 pela Aliança Francesa de Florianópolis. O projeto já ocupou diferentes palcos da Capital, como Centro Cultural Fabiano Silveira, a sala Lindolf Bell, no Centro Integrado de Cultura (CIC) e, desde 2018, o estacionamento (piso G3) do Villa Romana Shopping. 

Doação de alimentos e brinquedos

Nesta edição, o Sexta Jazz AF se une ao Conselho Comunitário do Córrego Grande (CCCG), da Capital, para arrecadar comida e brinquedos e doá-los a famílias em situação de vulnerabilidade social. Para ajudar, basta levar alimentos não perecíveis e brinquedos novos ou usados em bom estado no dia do evento.  As doações serão entregues ao CCCG, instituição que desde o começo da pandemia se articulou com diversas organizações e já ajudou mais de 800 famílias . A doação não é obrigatória, mas muito necessária. 

Herbie Hancock, um dos últimos gênios do jazz ainda na ativa

A cada edição, o Sexta Jazz AF homenageia músicos que foram ou ainda são relevantes dentro do jazz ou cujos trabalhos transitaram entre o jazz e outros estilos. Dentro desse universo, de todos os músicos, o Herbie Hancock é um dos mais importantes. Ganhador de 14 Grammys ao longo da carreira (e nomeado 34 vezes!), ele teve uma influência brutal não só no jazz, mas também na música pop. Prova disso é que até hoje está ativa, atuando com jazz e outras vertentes e trabalhando com artistas da cena contemporânea. Gravou, inclusive, um disco com a cantora brasileira Céu, há cerca de 10 anos.

 Herbie despontou nos anos 1960, quando integrou um antológico quinteto liderado por Miles Davis (1926-1991). Nessa década, o pianista teve contato com o piano elétrico e o teclado e isso influenciou diretamente em suas criações. Na década seguinte, lançou Head Hunters, álbum considerado um divisor de águas pela fusão jazz-funk e por levar esse estilo para outras audiências. 

— Ele revolucionou a música e o jazz, sempre foi avant garde. Nos anos 80, fez muita experimentação eletrônica. Um dos primeiros videoclipes na MTV, aliás, foi de uma música dele, chamada Rockit. Ele fazia experimentações com a música eletrônica, com breakbeats. Por isso, ele influenciou inclusive o hip hop. A batida de hip hop dos anos 80 ele já estava lá fazendo. Herbie segue na atividade. É um dos últimos gigantes do jazz ainda em atividade. Socialmente, é um porta-voz da escola busdista Nichiren Daishonin e isso aparece também na música dele — diz o músico e curador do Sexta Jazz AF, Tiê Pereira.

Assim como Miles Davis, Herbie Hancock tem um repertório extenso, afinal são pelo menos 50 anos de trajetória. 

— Para a última edição do ano do Sexta Jazz AF, decidimos mostrar a parte mais jazzística de Herbie, que foi quando lançou os primeiros discos de hard bop nos anos 1960. Também faremos algumas músicas da época do Head Hunters — adianta Tiê.

Para interpretar essas fases de Herbie, os curadores Tiê Pereira e Mauro Borghezan convidaram dois nomes já reconhecidos cena instrumental de Santa Catarina Fábio Oliveira, pianista de Joinville que tem uma veia forte como tecladista — para o show, isso oferece um um approach elétrico das composições de Herbie; Gian Tomasi, saxofonista que toca muito bem a linguagem hard bop.

O Sexta Jazz AF 2021 é viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura com patrocínios da ENGIE e Da Magrinha. Patrocínio da Prefeitura Municipal de Florianópolis,  Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Casces por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Florianópolis. Apoio cultural do Villa Romana Shopping. Produção da Marte Cultural. Realização da Aliança Francesa de Florianópolis, Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. 

 

Agende-se: Sexta Jazz AF apresenta: Especial Herbie Hancock

Quando: sexta, 26/11, 20h
Onde: Piso G3 do Villa Romana Shopping (Av. Me. Benvenuta, 687 – Santa Mônica, Florianópolis)
Online: Transmitido ao vivo pelo canal da AF Florianópolis no Youtube.
Quanto: gratuito. O acesso é por ordem de chegada, a partir das 19h. Para entrar, é necessário inscrição prévia no site da Aliança Francesa de Florianópolis, bem como a comprovação de vacinação completa contra COVID-19  para adultos (acima de 18 anos). Adolescentes (12-17 anos) poderão acessar o evento com uma dose e crianças são dispensadas (pois não puderam se vacinar ainda). Não serão aceitos testes. As vagas são limitadas para respeitar o distanciamento social e o uso de máscara é obrigatório. 

Classificação: indicado para maiores de 6 anos.

Comprovação Vacinal

Para fins de comprovação do esquema vacinal completo, o cliente deverá apresentar comprovante de vacinação através do aplicativo “Conecte SUS” ou plataformas integradas à sua base de dados para checagem, ou ainda, por meio de comprovante, caderneta ou cartão de vacinação impresso em papel timbrado emitido pela Secretaria Municipal de Saúde ou outras instituições governamentais nacionais ou estrangeiras que contenha o registro de aplicação de duas doses das vacinas dos laboratórios Pfizer, Sinovac/Butantan/Coronavac ou Astrazeneca/Fiocruz ou da dose única do laboratório Janssen.

 

Ir para o site da Aliança Francesa
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes

De-La-Mancha-Tom-Peres-31-1200x800.jpg

Projeto semanal promove teatro infantil com entrada gratuita para curtir em família. Todos os domingos em Florianópolis

O espetáculo Brincarueira, do Trio Arroz de Festa, abre a programação de novembro do Domingo com Teatro, projeto que promove apresentações gratuitas de teatro infantil uma vez por mês na Capital. A peça mistura a arte da palhaçaria, brincadeiras, cantigas e quadrinhas populares. Neste domingo, dia 7/11, às 11h30, no Villa Romana Shopping, na Capital. A entrada é gratuita.  

No dia 14 de novembro, um dos maiores clássicos da literatura mundial, Dom Quixote, de Cervantes, terá uma releitura adaptada para crianças. A montagem De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão, da Rococó Produções Artísticas e Culturais, aproxima a antiga fábula de públicos contemporâneos.

Até o final de novembro, outros dois espetáculos de contação de histórias e música também vão encantar crianças e adultos. No dia 21, a Cia Mafagafos apresenta o Ninho de Mafagafos, com uma seleção animada de histórias e músicas do repertório próprio. No dia 28, é a vez da Bela Fulô Encantadores de Histórias apresentar a peça Contos, Cantos e Encantos do Brasil. No repertório, música, parlendas, ditados populares e muitas brincadeiras

Projeto promove teatro infantil desde 2012

O Domingo com Teatro começou em 2012 e desde então reúne uma média de 13 mil pessoas por ano, entre crianças e adultos, em sessões semanais sempre lotadas. Uma vez por mês, as apresentações contam com tradução em LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais.

 Protocolos Sanitários: a sala do cinema tem sistema de refrigeração central com renovação contínua de ar externo e as poltronas são marcadas e com distanciamento do público. Máscaras são obrigatórias e álcool gel está disponível para todos os usuários.

As apresentações do projeto Domingo com Teatro são patrocinadas pelo município de Florianópolis, pela Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer e pela Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura nº 3659/91. O projeto tem o apoio cultural do Villa Romana Shopping e do Cinesystem. A coordenação geral da Marte Cultural.

Programação de novembro de 2021

 

7 de novembroDia 7/11 – Brincarueira, com o Trio Arroz de Festa

Um espetáculo que mistura a arte da palhaçaria, cantigas e quadrinhas populares e muitas brincadeiras. A peça é uma criação do Trio Arroz de Festa, grupo formado por palhaças e palhaços brincantes em 2016. A proposta da companhia é aproximar o público de brincadeiras cantadas com canções da cultura popular executadas ao vivo.  

Quando: 7/11/2021, às 11h30
Onde: Cinesystem – Villa Romana Shopping, Florianópolis
Gratuito
Classificação: Livre. Indicado para crianças entre 3 e 9 anos

 

DCT 14-11-21Dia 14/11 – De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão, com a Rococó Produções Artísticas e Culturais

A peça apresenta uma releitura infantil da obra de Cervantes, Dom Quixote de La Mancha e seu fiel Escudeiro Sancho Pança, um clássico da literatura mundial. Com dois atores em cena, o espetáculo aproxima a antiga fábula de públicos contemporâneos e propõe uma conexão com o contexto brasileiro. Montagem cheia de humor e ludicidade. A adaptação é assinada pelo ator e diretor Guilherme Ferrêra.  

Quando: 14/14/2021, às 11h30
Onde: Cinesystem – Villa Romana Shopping, Florianópolis
Gratuito
Classificação: Livre

 

DCT 21-11-21Dia 21/11 – Ninho de Mafagafos, com a Cia Mafagafos

A Cia Mafagafos é uma conhecida do público do Domingo com Teatro. O grupo de contadores de histórias apresenta uma seleção animada de histórias e músicas do repertório próprio. Aline Maciel e Sig Schaitel interpretam canções para bebês e crianças (e os adultos também adoram!). São histórias divertidas, algumas autoriais e outras tradicionais, contadas com apoio de instrumentos musicais, bonecos e livros.  

Quando: 21/11/2021, às 11h30
Onde: Cinesystem – Villa Romana Shopping, Florianópolis.
Gratuito
Classificação: Livre

 

DCT 28-11-21Dia 28/11 – Contos, Cantos e Encantos do Brasil, com a Bela Fulô Encantadores de Histórias

Um espetáculo para viajar pela cultura popular brasileira.  Os artistas, músicos e contadores de histórias Camila Mafra, Fernando Montagna e Isabella Spigolon apresentam contos e causos cômicos do folclore do país. Música, parlendas, ditados populares e interação com o público. Para se divertir com a família!
Espetáculo acessível: a apresentação terá tradução em LIBRAS – Língua Brasileira dos Sinais.
Quando: 28/11/2020, às 11h30
Onde: Cinesystem – Villa Romana Shopping, Florianópolis.
Gratuito
Classificação: Livre

 

Ir para o site do projeto
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes

1600x1000-be3dbd2-8016-IMG0800099489-1200x750.jpeg

“O homem que mudou a música”: Miles Davis terá tributo no próximo Sexta Jazz AF em Florianópolis. Apresentação será no dia 5 de novembro, às 20h, no estacionamento (piso G3) do Villa Romana Shopping

Lenda da música mundial, o trompetista e compositor Miles Davis (1926-1991) é o homenageado da próxima edição do Sexta Jazz AF em Florianópolis. O concerto será apresentado por um quinteto montado especialmente para esta edição, com a participação do pianista Luiz Gustavo Zago, do trompetista Gabriel Barbalho e do saxofonista Elio Lorenzo Vistel como convidados, além dos músicos e curadores do projeto Tiê Pereira (baixo) e Mauro Borghezan (bateria).  O show será na sexta, dia 5/11, às 20h, no Piso G3 (estacionamento) do Villa Romana Shopping, na Capital.  

 

Como participar

O acesso é gratuito mediante inscrição prévia no site da Aliança Francesa de Florianópolis (www.affloripa.com.br) e por ordem de chegada, a partir das 19h. As vagas são limitadas para respeitar o distanciamento social. As apresentações do Sexta Jazz AF foram aprovadas pela Vigilância Sanitária e seguirão todas as medidas para assegurar a saúde do público. O uso de máscara é obrigatório. 

VACINAÇÃO COMPLETA OU TESTE OBRIGATÓRIO

– Será exigida a Comprovação de vacinação com a 2ª dose (D2) para maiores de 18 (dezoito) anos; e Comprovação de vacinação com a 1ª dose (D1) para pessoas de 12 (doze) a 17 (dezessete) anos. Menores de 12 anos poderão ingressar no evento sem a necessidade de vacinação ou testes.

– Também será permitido o acesso ao evento para quem apresentar  laudo de exame RT-qPCR realizado nas últimas 72 (setenta e duas) horas ou Pesquisa de Antígeno para SARS-Cov-2 por swab realizado nas últimas 48 (quarenta e oito) horas com resultado “negativo, não reagente ou não detectado”;

– Para fins de comprovação do esquema vacinal completo, o cliente deverá apresentar comprovante de vacinação através do aplicativo “Conecte SUS” ou plataformas integradas à sua base de dados para checagem, ou ainda, por meio de comprovante, caderneta ou cartão de vacinação impresso em papel timbrado emitido pela Secretaria Municipal de Saúde ou outras instituições governamentais nacionais ou estrangeiras que contenha o registro de aplicação de duas doses das vacinas dos laboratórios Pfizer, Sinovac/Butantan/Coronavac ou Astrazeneca/Fiocruz ou da dose única do laboratório Janssen.

Repertório baseado nos dois grandes quintetos de Miles Davis


A história da música norte-americana certamente seria outra não fosse o imprevisível e revolucionário Miles Davis. Eleito pela Rolling Stone como “o homem que mudou a música”, Miles sempre foi um visionário, músico à frente de seu tempo e que ditou tendências. No jazz, o trompetista e compositor passou por diferentes fases. O bebop e o hard bop, nos anos 1950 e 1960; o jazz fusion nos anos 70 e 80, além do jazz rock e outros estilos. No concerto especial do Sexta Jazz AF, o repertório será baseado na primeira fase do músico (anos 50 e 60), quando ele liderou dois grandes quintetos.

— Miles foi um excelente estrategista. Ele soube muito bem colocar os músicos certos na hora certa para tocar.  A fase mais importante foi quando ele começou a despontar como músico, quando liderou dois grandes quintetos no final dos anos 50 até meados da década de 60. Foi a fase mais jazzística, com a formação mais tradicional de jazz: piano, saxofone, trompete, bateria e contrabaixo. Depois disso ele começou a fazer experimentações, como free jazz, instrumentos elétricos, guitarra, percussão — diz Tiê Pereira, músico e um dos curadores do Sexta Jazz. 

 

O primeiro quinteto de Miles era formado, entre outros, por John Coltrane (1926-1967), saxofonista que logo despontou e teve uma carreira meteórica. O segundo tinha em sua formação outro ícone do jazz, o saxofonista Wayne Shorter, atualmente com 88 anos. Para interpretar essa fase de Miles, os curadores Tiê Pereira e Mauro Borghezan convidaram três grandes nomes da cena instrumental de Santa Catarina: Gabriel Barbalho, trompetista cujo modo de tocar tem as mesmas característica do Miles (respiro entre as notas); Luiz Gustavo Zago, pianista que já tem intimidade com a obra no norte-americano; e Elio Lorenzo, saxofonista conhecido pelo toque explosivo e que bebeu muito da fonte do bebop


Projeto realizado desde 2014

O Sexta Jazz AF é realizado desde 2014 pela Aliança Francesa de Florianópolis. O projeto já ocupou diferentes palcos da Capital, como Centro Cultural Fabiano Silveira, a sala Lindolf Bell, no Centro Integrado de Cultura (CIC) e, desde 2018, o estacionamento do Villa Romana Shopping. Para a temporada 2021, a produção preparou cinco edições entre setembro e dezembro. A terceira edição será no dia 5 de novembro, com Especial Miles Davis. A próxima será no dia 26 de novembro, com tributo a Herbie Hancock.

 

O Sexta Jazz AF 2021 é viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura com patrocínios da ENGIE e Da Magrinha. Patrocínio da Prefeitura Municipal de Florianópolis,  Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Casces por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Florianópolis. Apoio cultural do Villa Romana Shopping. Produção da Marte Cultural. Realização da Aliança Francesa de Florianópolis, Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. 

 

Agende-se

Sexta Jazz AF apresenta: Especial Miles Davis

Quando: sexta, 5/11, 20h
Onde: Piso G3 do Villa Romana Shopping (Av. Me. Benvenuta, 687 – Santa Mônica, Florianópolis)
Quanto: O acesso é gratuito mediante inscrição prévia nesta página e por ordem de chegada, a partir das 19h. Para entrar, também é preciso comprovar a vacinação completa contra a Covid-19 (duas doses ou dose única) ou laudo de exame RT-qPCR realizado nas últimas 72 horas. Também serão aceitos testes de Pesquisa de Antígeno para SARS-Cov-2 por swab realizado nas últimas 48 horas com resultado “negativo, não reagente ou não detectado”.  

 

Classificação: indicado para maiores de 6 anos

 

Ir para o site da Aliança Francesa
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes

1162691-1200x675.jpg

Sessões Animadas exibe O Poderoso Chefinho 2. Projeto gratuito exibe filmes infantis uma vez por mês em Florianópolis. Indicado para toda família, Exibição terá audiodescrição para pessoas com deficiência visual

Em 2017, um pequeno agente secreto disfarçado de bebê falante de terno conquistou crianças e adultos em todo o mundo na animação O Poderoso Chefinho. Ele e o irmão estão de volta numa sequência divertida e emocionante. Em Negócios da Família, os irmãos Tim e Ted são agora adultos com estilos de vidas bem diferentes e uma poderosa chefinha tem a missão de aproximar os dois novamente. O filme é a atração da próxima edição das Sessões Animadas e terá exibição gratuita no dia 30/10, às 11h, no Cinesystem do Villa Romana Shopping, em Florianópolis. A sessão é acessível para pessoas com deficiência visual. Estarão disponíveis dois aparelhos de audiodescrição simultânea. 

Os ingressos são gratuitos e distribuídos com uma hora de antecedência ao início do filme. A distribuição é feita mediante cadastro rápido (nome e e-mail de um dos responsáveis) e por ordem de chegada.  As vagas são limitadas.

A mostra Sessões Animadas foi criada em 2015 pela Marte Cultural, de Florianópolis, com o propósito de democratizar a produção cinematográfica para crianças. O projeto promove exibições gratuitas de filmes para curtir em família uma vez por mês no Villa Romana Shopping.

Uma nova poderosa chefinha

A animação tem a assinatura da DreamWorks, mesmo estúdio de animação que criou, entre outros, a saga de Como Treinar Seu Dragão. Com direção de Tom McGrath, O Poderoso Chefinho 2 – Negócios da Família mostra os irmãos Tim e Ted já adultos e afastados um do outro. Enquanto Tim ficou casado, virou pai e vive o ambiente familiar, Ted virou CEO de um fundo de investimento, um empresário de sucesso e com múltiplas formações. Dessa vez, é Tina, filha mais nova de Tim — uma agente ultrassecreta da BabyCorp —, que decide encarar como missão a união entre o tio e o pai.

Protocolos Sanitários

As Sessões Animadas seguem rigorosos processos de higiene para assegurar a segurança de todos e todas. O sistema de refrigeração central tem renovação contínua de ar externo e as poltronas são marcadas para garantir o distanciamento adequado do público. Máscaras são obrigatórias e álcool gel está disponível para todos os usuários.

As Sessões Animadas são totalmente patrocinadas pela Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura nº 3659/91. O projeto tem o apoio cultural do Villa Romana Shopping. A coordenação geral é da Marte Cultural.

Agende-se

Sessões Animadas exibe O Poderoso Chefinho 2 – Negócios da Família
Quando: sábado, 30/10, às 11h
Onde: Cinesystem (Piso L3) do Villa Romana Shopping (Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica, Florianópolis)
Quanto: gratuito
Classificação: Livre. Animação, comédia, 117 min

Ir para o site do projeto
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes

stephanie_thiersch_martin_rottenkolber.jpeg

As aulas gratuitas para profissionais de dança oferecidas pelo festival internacional Dança em Trânsito completam cinco meses consecutivos e se encerram em outubro trazendo diferentes propostas apresentadas pelas coreógrafas AnaVitória, radicada em Portugal, Camila Fersi, Carolyna Aguiar, Esther Weitzman e a alemã Stephanie Thiersch.

Sempre às sextas-feiras, as aulas têm duração de 1h30 e são gratuitas e online, mediante inscrição. Para participar é necessário enviar um breve currículo, de até três linhas, para o emailonline@espacotapias.com.br. Algumas aulas serão disponibilizadas para o públicono canal do YouTube do Espaço Tápias.

 

19ª Edição

A 19ª edição do Dança em Trânsito começa em 6 de novembro e segue até 18 de dezembro em formato híbrido, presencial e online, envolvendo23 cidades de nove estados das cinco regiões do país. Mais informações serão divulgadas à frente. Apresentado pelo Ministério do Turismo, o festival internacional é apresentado e patrocinado pelo Instituto Cultural Vale, Banco do Brasil e Engie.

O mês será aberto com a coreógrafa e bailarina AnaVitória, radicada em Portugal, que no dia 1º de outubroapresenta um conjunto de técnicas que foram criadas pela bailarina e mestra de dança contemporânea Angel Vianna, figura fundamental na cena brasileira desde a década de 50. “O acontecimento aula do papel criado por Angel em 2002 é mais uma mostra de como o advento da arte contemporânea se revela cada vez mais inesgotável e surpreendente”, destaca a coreógrafa. Neste encontro, os jogos corporais e a conscientização do corpo sensível são ativados em sua multissensorialidade a fim de se chegar a um corpo presente e vibrátil, onde tônus muscular e afetivo sejam convocados para se criar novos estados de presença do performer-bailarino-intérprete.

No dia 8, Camila Fersi faz uma oficina de improvisação, que promove um compartilhamento de táticas sobre produção de danças e dramaturgias através da Improvisação e sua relação com os dispositivos tecnológicos. Esta aula está inserida no contexto pandêmico mundial e, portanto, lida com as condições de cada participante estar em um lugar e de serem mediados por suas câmeras, como condição dramatúrgica ou performativa.A aula acontece através de breve conversa sobre roteiros de improvisação e parte para a experimentação e criação de roteiro instantâneo que será dançado/performado por todos.

Para o encontro virtual com profissionais no dia 15, a alemã Stephanie Thiersch está propondo uma aula de pesquisa e composição voltada para uma reflexão sobre o corpo e a imagem. Composições baseadas em visuais do cotidiano, nas representações de corpos em ambientes urbanos, como através da publicidade. Os alunos lidarão com Tableaux Vivants (pinturas vivas) como uma forma de arte coreográfica.

Carolyna Aguiar preparou para a aula do dia 22 um trabalho de potência e entrega, iniciado com uma série simples de exercícios para liberar as articulações. Na Série do butô, os movimentos trabalham e condensam a força no centro do corpo, força usada para se recuperar e curar. Na Caminhada zen, alinha-se a respiração com o movimento, pausas da respiração e equilíbrio. E por fim, um improviso com música.

Dança e Criação é a aula de encerramento, no dia 29, com a coreógrafa, professora, bailarina e preparadora corporal Esther Weitzman. Ela criou a sua Companhia de Dança em 1999, firmando-se como coreógrafa no cenário da dança brasileira com vários prêmios e indicações recebidas. Especialista em Arte e Filosofia (PUC/RJ, 2006), formada em dança pela Escola Angel Vianna. Suas últimas criações foram As Histórias Que Inventamos Sobre Nós, Dançar (não) é preciso, Jogo de Damas e O tempo do meio. Fundou, em 1992, o famoso Studio Casa de Pedra – Centro de Educação e Arte do Movimento, sede da sua Companhia de Dança. Integra o corpo docente do Curso de dança da Faculdade Angel Vianna.

Bios

 

AnaVitória é Pós Doutora em Artes da Performance (Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa – Portugal) e PhD. em Artes – Performances do Corpo pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO/Brasil). Coordenadora Adjunta do Mestrado Profissional em Dança na contemporaneidade – PPGPDAN da Faculdade Angel Vianna e do Curso de Pós-Graduação em Preparação Corporal para as Artes Cênicas – FAV/Brasil e Investigadora colaboradora pelo Inet-MD (FMH-UL-Portugal), Sens-Lab (Canadá) e NEPAA (Núcleo de estudos da Performance Afro-Ameríndia – Brasil). A partir 2018 passa a residir em Portugal aonde segue desenvolvendo seu trabalho artístico-pedagógico sobre poéticas autoperformativas. Coreógrafa premiada; Prêmio Melhor Coreógrafa APCA – 1997, Prêmio MAMBEMBE de Melhor Coreógrafa – 1998 e Prêmio RIO DANÇA -1999, entre outros, tem seu trabalho reconhecido no Brasil e no exterior, e conta do seu repertório mais de 30 obras coreográficas e performáticas, entre os seus solos como intérprete-criadora e espetáculos para Cias e Grupos de dança. Suas criações autorais levaram companhias brasileiras e estrangeiras a convidá-la para criar e remontar suas obras coreográficas.

Camila Fersi é artista da cena, pesquisadora das dramaturgias contemporâneas e professora de dança. Mineira, residente no Rio há 18 anos, já atuou, como bailarina e assistente de direção, com diversos diretores/coreógrafos. É artista residente do Centro Coreográfico do Rio; curadora da Mostra 69 e da Monstra. Seu projeto mais recente é o Campo Aberto, encontro de Improvisação e Composição, ação contínua durante o período pandêmico, que mobiliza artistas e não artistas na produção de dramaturgias sociais e artísticas.

A diretora e coreógrafa Stephanie Thiersch (imagem de capa) vê seu trabalho coreográfico em um contexto mais amplo de pesquisa de movimento interdisciplinar, que inicialmente incorpora novas mídias e artes visuais, e atualmente principalmente música no pensamento coreográfico. Os dançarinos de sua companhia diferem explicitamente em origem e estilo de dança e são relativamente livres interpretando as partituras de Thiersch muitas vezes visuais. A música e sua relação com o movimento desempenham um papel fundamental na criação de suas peças. Ela, portanto, entra em alianças artísticas intensas com compositores e músicos (Brigitta Muntendorf, Asasello Quartet, Les Siècles Orchestra ou DJ Elephant Power, Dodo NKishi) e cria a linguagem coreográfica com ideias específicas para palco, figurino e iluminação. O estilo consistentemente híbrido das peças é bem representado em turnês ao redor do mundo (América do Sul, Leste Asiático, Japão, África, Europa), na Alemanha regularmente em, por exemplo, tanzhaus nrw, Tanz im August Berlin ou em Théatre de Nimes na França.

Atriz, bailarina, preparadora corporal, performer e produtora cultural, Carolyna Aguiar é formada na Escola e Faculdade Angel Vianna de Dança Contemporânea, em várias modalidades de Hatha Yoga e recémformada na Estar, Escola da Técnica Alexander do Rio de Janeiro. Atua no teatro e na televisão desde 1988. Foi dirigida por grandes nomes, como Sérgio Britto, Domingos de Oliveira, Paulo José, Mauro Rasi, Luiz Arthur Nunes, Eduardo Wotzik. Em 1993 ganhou 2 prêmios de atriz revelação por sua atuação na novela Fera Ferida de Aguinaldo Silva. Dançou no espetáculo “Terras” na Companhia de Esther Weitzman, eleito o melhor espetáculo de dança contemporânea do Rio de Janeiro em 1999/2000. Como produtora idealizou, realizou e atuou em diversos projetos: A peça infantil “O conto da ilha desconhecida” de José Saramago, direção e adaptação de Bel Kutner e Maria Clara Mattos, em 2008. Por esse trabalho foi indicada ao prêmio de melhor atriz de teatro infantil e a peça recebeu os prêmios Zilka Salaberry de melhor direção e trilha sonora. O filme “Meus dois amores” de José Carvalho, adaptado de um conto de Guimarães Rosa, com direção de Luiz Henrique Rios, em 2015.

Serviço

Aulas de Dança Contemporânea / Manutenção para profissionais de dança e artes cênicas

PROGRAMAÇÃO DE OUTUBRO (sempre às sextas)

01/10 Aula do papel, com AnaVitória (Portugal)

08/10 Oficina de improvisação, com Camila Fersi (Brasil)

15/10 Pesquisa e composição, com Sthephanie Thiersch (Alemanha)

22/10 Preparando o corpo para a performance e despreparando-se para estar presente, com Carolyna Aguiar (Brasil)

29/10 Dança e Criação, com Esther Weitzman (Brasil)

Horário: 13h30 às 15h, na plataforma Zoom

Inscrições: envio de currículo (3 linhas) para o email online@espacotapias.com.br

 

Apresentado por:

MINISTÉRIO DO TURISMO

Apresentado e Patrocinado por:

INSTITUTO CULTURAL VALE

BANCO DO BRASIL

ENGIE

Realização:

ESPAÇO TÁPIAS

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA  

MINISTÉRIO DO TURISMO 

GOVERNO FEDERAL – PÁTRIA AMADA BRASIL

Dança em Trânsito

Criado em 2002, o Dança em Trânsito é um festival internacional de dança contemporânea que tem por objetivo valorizar, promover e democratizar esta expressão artística, seja pelo intenso intercâmbio entre artistas e companhias do Brasil e do exterior, como também pela itinerância, percorrendo desde as grandes cidades até pequenas localidades no interior do Brasil, em teatros ou espaços públicos. Sua atuação abrange ainda residências artísticas, com oficinas de criação, e workshops, abrindo canais para novos talentos da dança, e a formação de plateias, estimulando o interesse pelas artes e pela dança. O festival é parte do projeto Ciudades Que Danzan, que reúne 41 cidades em diversas partes do mundo com o intuito de difundir a dança contemporânea. Desde a sua criação, o Dança em Trânsito já realizou mais de 650 apresentações de dança contemporânea, abrangendo 103 companhias nacionais e 59 internacionais, de 18 países, passando por26 cidades no Brasil e no exterior, para um público de mais de 48 mil pessoas. A edição 2020, 100% online, envolveu 739 participantes de 68 cidades e 18 países, com um total, entre transmissões e redes sociais, de mais de 170 mil acessos.

Informações para a imprensa:
Leila Grimming
leilagrimming.imprensa@gmail.com
Tel: 21 98112-3390

 

Conheça as nossas soluções para patrocinadores

Conheça as nossas soluções para proponentes


18557280_1295361830531863_8625817148279419687_n.jpg

Finalistas do Prêmio AF de Arte Contemporânea 2021 em exposição na Fundação Cultural BADESC. O grande vencedor será divulgado no dia da abertura, 9 de outubro, às 11h. O prêmio é uma residência artística de três meses na Cité Internationale des Arts, em Paris.

Os três artistas selecionados no 8º Prêmio AF de Arte Contemporânea, mais importante premiação de Santa Catarina, apresentam suas obras em exposição coletiva na Fundação Cultural BADESC, na Capital, a partir do dia 9/10. Os três finalistas são artistas com produção e trajetória já expressivas no circuito de artes: Diego de los Campos, Fran Favero e Gabi Bresola. A abertura será no sábado (9/10), às 11h, em transmissão ao vivo pelo  canal da Aliança Francesa no YouTube, quando será anunciado o grande vencedor do prêmio: uma residência artística de três meses na Cité Internationale des Arts, em Paris. A mostra poderá ser visitada até 11 de novembro.

Esta é a terceira vez que a Aliança Francesa de Florianópolis e a Fundação Cultural BADESC se unem para apresentar ao Estado as produções e os novos percursos dos artistas catarinenses. Em 2021, a premiação teve recorde de inscritos.

— A curadoria da mostra foi pensada de modo colaborativo, em conjunto com os três finalistas, a fim de conceber uma exposição que contemple um pouco da trajetória de cada um deles no mundo das artes. Territorialidades, sob perspectivas da linguagem, materialidade e poética, estão presentes nas obras de Diego, Fran e Gabi — diz Margaret Waterkemper, diretora geral da Fundação Cultural BADESC.

Exposição acessível

Assim como em 2020, a oitava edição do Prêmio AF de Arte Contemporânea terá um formato híbrido de exposição em 2021. A abertura será transmitida ao vivo pelo canal no YouTube da Fundação Cultural BADESC, quando os três artistas participam de uma conversa sobre suas trajetórias, pesquisa e produção artística. O público poderá interagir e fazer perguntas.  A mostra poderá ser visitada até 11 de novembro.  

Uma das novidades é que toda a mostra é acessível para pessoas com deficiência visual e as obras terão audiodescrição. A abertura da exposição também é acessível para pessoas surdas e terá tradução em LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais. 

Conheça os finalistas:

 

Fran Favero

Fran Favero (1987) é artista visual e curadora. É mestre em artes visuais pela Udesc, além de graduada em artes visuais e biologia. Pesquisa as relações de fronteiras que permeiam territórios, corpos e memórias. Nessa linha,  atua no campo dos multimeios, incluindo produções em fotografia, vídeo, publicações de artistas e instalações. Já expôs individualmente na 14ª Bienal Internacional de Curitiba, no Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), além de galerias em São Paulo e em Portugal. É professora colaboradora do Departamento de Artes Visuais da Udesc. Sua obra passa pelas noções de transdisciplinaridade e intermídia como elementos centrais de sua prática. A palavra como conceito disparador também é recorrente em seu trabalho. O atravessamento e as relações possíveis entre território, corpo e palavra (línguas) estão presentes de maneira recorrente nas suas produções.

 

 

Ultraforça 1, de Diego de los Campos. ReproduçãoDiego de los Campos

Diego de los Campos (1971) é artista visual nascido no Uruguai e radicado em Florianópolis desde 199. Já participou de diversos salões de arte contemporânea, entre eles o de Piracicaba, de Ribeirão Preto e Arte Pará, entre outros. Já expôs individualmente no Museu Victor Meirelles e no Masc. Foi indicado em 2019 ao Prêmio Pipa e, em 2020, foi selecionado no Rumos Itaú Cultural 2020-2021. Desde 2010 integra o Coletivo Artístico Nacasa, onde mantém ateliê e dá cursos de arte multimídia. Sua obra busca ressignificar o descarte da sociedade. Dá sobrevida e reutiliza objetos, ou parte deles, ao colocá-los em movimento. A proposta passa por gerar um movimento interno do pensamento que coloque em jogo contradições latentes de formas de ver o mundo. Nesse sentido, a partir de objetos e materiais interceptados de seu caminho ao lixo, cria estruturas que comportam representações de corpos humanos, por exemplo. De los Campos cria e programa circuitos que utilizam sensores e microcontroladores. Sua busca é que o resultado estético seja uma junção de elementos sem ocultar nem dissimular as funções de cada parte.

 

 

 Gabi Bresola

Gabi Bresola (1992) é reconhecida pelo trabalho com pesquisa e publicações de artistas e pela coorganização da feira Flamboiã. Na academia, é mestre em Artes Visuais pela Udesc.  Desde 2012 realiza exposições e publicações e dedica-se principalmente à elaboração de projetos culturais de artes visuais e de cinema pela Ombu Produção. Também já atuou como curadora de exposições, entre elas InteriorVerada e Reles chão. Individualmente, já expôs em Florianópolis, Itajaí e São Paulo. No cinema, dirigiu o curta Larfiagem e produziu filmes como Antonieta e Documentário. Seu trabalho como artista passa pela pesquisa sobre questões geopolíticas a partir da mediação entre a cultura do interior e as implicações coloniais. Nesse sentido, propõe discussões que entrecruzam o conhecimento empírico e o formal a partir de sua formação rural e acadêmica.

 

O Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea 2021 é viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Patrocínio da ENGIE. Apoio do Consulado da França em São Paulo, do Institut Français, do Institut Français do Brasil e da Fundação Cultural Badesc. A coordenação é Marte Cultural. Realização da Aliança Francesa de Florianópolis, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. 

Agende-se

Exposição Prêmio AF de Arte Contemporânea 2021, com Diego de los Campos, Fran Favero e Gabi Bresola
Quando: abertura – 9 de outubro, às 11h, no canal da  canal da Aliança Francesa no YouTube (abertura) . Visitação até 11 de novembro
Onde: Rua  Visconde  de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis. Visita virtual pelo site  https://fundacaoculturalbadesc.com/
Quanto:  gratuito

 

Ir para o site da Aliança Francesa
Conheça as soluções da Marte para patrocinadores
Conheça as soluções da Marte para proponentes